Turismo entrega carteira nacional a artesãos do município

86

A Prefeitura de Rio Bonito e o Governo do Estado do Rio de Janeiro entregaram na terça-feira, 18, a Carteira Nacional do Artesão para os 82 profissionais da cidade inscritos no programa. Na cerimônia, realizada na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), também foi assinado o termo de cooperação técnica entre os governos visando fortalecer a atividade e dar continuidade ao trabalho.

De acordo com a subsecretária-adjunta de Turismo do Estado e coordenadora da ação, Nea Mariozz a iniciativa vai ajudar no desenvolvimento dos artesãos.

“Através desse termo a gente vai poder fazer reuniões, bolar e elaborar projetos para os artesãos, feiras e participações. Isso é muito importante para os artesãos hoje. Então tanto o Governo do Estado quanto a Prefeitura se unindo só vai trazer bons frutos para os artesãos de Rio Bonito”, explicou.

Para a Secretária municipal de Turismo, Carmen Motta, esse processo de parceria é fundamental para ampliar o trabalho iniciado com as feiras.

“Essa iniciativa é muito importante para todos esses profissionais. Mas esse é só inicio do trabalho, vamos buscar ampliar as ações em parceria com o Estado para podermos expandir a atuação de quem produz artesanalmente e movimentar a economia local. E tenho certeza que em breve veremos nossos artesãos sendo citados em outros municípios e estados”, declarou.

O prefeito José Luiz Antunes esteve no evento e em sua fala elogiou o trabalho dos artesãos e reforçou o apoio ao artesanato do município.

“Estou muito honrado  com a presença de todos vocês e fico  muito feliz em entregar essa carteirinha. Nós estamos ai para dar todo o apoio possível. Começamos com as feiras, que achei que foram muito boas e podemos fazer muito mais com essa parceria. Queremos convidar vocês para trabalharmos em parceria”, disse Mandiocão

Todos os profissionais que receberam a sua Carteira Nacional do Artesão terão o direito a vários benefícios como participar de feiras e exposições em outras cidades, oficinas e cursos de capacitação, microcréditos, divulgação e comercialização de seus produtos.

Com mais de 60 anos trabalhando com artesanato, a aposentada Celia Rosa Ramos revelou que a carteirinha representava um recomeço.

“Isso representa a minha vida. Eu sempre fiz artesanato, mas nunca foi reconhecido. Está valendo mais do que 1 milhão pra mim. É um recomeço. Cheguei a essa idade por causa do artesanato, pois tem pessoas da minha idade com depressão e Alzheimer e eu não tenho nada disso. Eu trabalho, acordo cedo e estou aprendendo ainda. Pois artesanato você nunca sabe tudo”, disse emocionada.